Treino de Estética e Performance das Capacidades Físicas

E ae pessoas animadas deste mundo esperto, tudo bem?

Muitas pessoas querem mudar seus corpos, deixá-los atléticos, com baixa porcentagem de gordura, e com isso procuram treinos que ajudem neste aspecto. Assim como, atletas e pessoas do ramo artístico procuram melhora na performance de capacidade física como força, resistência, flexibilidade, agilidade, potência, etc para ajudar em seus esportes, apresentações e etc.

Bom, lhes pergunto: Existe alguma diferença entre treinos estéticos, que visam a estética, e treinos que visam melhora na performance: força, resistência, equilíbrio, agilidade, controle, velocidade, potência, etc?
Sim, existem!

Sylvester Stallone
Treinos que objetivam estética, são treinos que objetivam a aparência, a estética física somente, sem considerar força e outras capacidades. Já treinos que tem como foco a performance, focam capacidades físicas específicas, sendo uma ou mais capacidades. Um excelente exemplo da diferença é um treino tradicional de musculação, objetivando hipetrofia e um treino de Crossfit, que foca em praticamente todas as capacidades, força, potência, velocidade, etc.
Os treinos estéticos, ou fitness, vieram com a mudança de conceito de beleza, por volta dos anos 90, onde os corpos com músculos mais aparentes e definidos ganharam espaço em filmes e conquistaram os olhares da sociedade. Demi Moore, Madonna e Sylvester Stallone são precursores dessa mudança no conceito de beleza.

Os treinos estéticos sao derivados de treinos dos fisioculturistas, que focam hipertrofia e pouca gordura. Na periodizacao destes treinos você encontra variantes e manipulação de porcentagens, volume e intensidade das repetições, peso e etc tudo focando hipertrofia, acúmulo de glicogênio muscular, perda de gordura, depleção de glicogênio, e etc. Toda a periodização de um fisioculturista, obrigatoriamente está associada à uma dieta, que muitas vezes também é periodizada e manipulada (off-season, pre-contest, etc). Um treino estético só tem eficiência se combinado com rigorosa dieta e suplementação.

Com a mesma "maré" da musculção vieram diversos estudos, nos quais muitos profissionais se baseiam até hoje, porém muitos já foram derrubados por novos estudos e pesquisas da fisiologia do exercício e ciência do esporte. Um grande exemplo é a velha regra da queima de gordura, onde de acordo com as porcentagens de batimentos máximos do coração se encontram faixas de intensidade nas quais você ainda pode encontrar em esteiras na academia "faixa de queima de gordura - intensidade moderada", "faixa de treino cardiovascular - intensidade alta"... Hoje se sabe que o "treino cardiovascular" queima mais gordura que o "treino de queima de gordura". Quanto mais elevada sua frequência cardiaca estiver, mais calorias irá gastar  e consequentemente irá perder mais gordura.
Muitos outros mitos ainda existem, os quais não cabe aqui descrever.

Os treinos que focam as capacidades físicas, tem manipulação em sua periodização com foco em determinadas capacidades, nas quais existem vastos estudos sobre tempo de desenvolvimento de certas capacidades, métodos de periodização, forma esportiva (que é o auge de tal capacidade, ou capacidades), etc. O crossfit, médoto, que hoje é modalidade, e talvez até um esporte, é um bom exemplo de treino visando tudo, menos estética. Mas você pode me perguntar, porque tantas pessoas usam o crossfit para perda de peso e estética? E eu te respondo, porque para você ter o condicionamento de um "atleta", você precisa estar magro e em boa forma física.

Muitas pessoas escolhem meios mais eficiêntes de se treinar, novamente citando o exemplo do Crossfit, pois gastam mais calorias, ficam mais eficiêntes em suas capacidades, e tem uma melhor qualidade de vida.

Bruce Lee - treinos intensos focando
agilidade, velocidade, força, potência,
resistência e etc... Consequentemente
um corpo com baixa porcentagem de
gordura, claro, aliado a boa alimentação e
genética.
Essa diferença de treinos, explica porque um atleta de Levantamento Olimpico é mais forte que um fisioculturista, sendo que o fisioculturista, muitas vezes, é maior, mais definido, porém pouco eficiente se tratando de performance física. A força que um fisioculturista ganha é derivado dos treinos diários de hipertrofia, que está de certa forma relacionada a força. Assim como uma pessoa que treina força, está também condenada a ganhar mais volume muscular. Porém um treino de hipertrofia você ganha muito mais massa muscular que força, assim como no treino de força você irá ganhar muito mais força que massa muscular, porém um está associado ao outro (força x hipertrofia).

Para uma pessoa que não tem objetivo de grande massa muscular, e não tem foco em competir ou participar de campeonatos de fisioculturismo, ou ainda, pessoas que querem perder peso, os treinos tradicionais de musculação não são os mais eficientes para isso. Pois existem outros métodos, e outras formas de se treinar que gastam mais calorias e ainda trarão mais benefícios para essa pessoa, tanto no presente quanto no futuro.
Uma das capacidades mais necessárias e que perdemos com o tempo (treinando ou não) é a força e flexibilidade... Quando formos velhinhos, levantar de uma cadeira, sair do carro, vestir uma meia, serão tarefas que exigirão bom condicionamento físico. Então treinar tais capacidades desde agora, irá lhe trazer muitos benefícios e o mais importante: qualidade de vida, agora e no futuro.

Juntamente com lindos corpos esculturais, de grande massa muscular e baixa porcentagem de gordura, vem também o uso de esteróides anabolizantes. Muitas pessoas acham que irão ficar enormes ao treinar musculação, o que não é verdade. Você só alcançará hipertrofia além do limite do seu corpo com auxílio de esteróides, e o limite do seu corpo não passa do tamanho atlético, natural, que não causa espanto. Claro que isso envolve também genética, treino, alimentação, etc.

Ronnie Coleman - campeão Mr. Universe





Então os treinos para hipertrofia máxima, fisioculturismo, nada tem haver com ganhos de capacidade funcionais, tal como flexibilidade, agilidade, velocidade, força, etc. A força, resistência e tudo mais que estes atletas ganham são consequência do treinamento para massa muscular.






 Existem muitas coisas envolvidas para se chegar em um nível destes. E talvez o treino não seja o primeiro fator. Alimentação, sono, descanso, suplementação, certamente estão no topo da pirâmide, bem antes do treino.




Como em qualquer esporte, o fisioculturismo também tem modalidades, nas quais não visam somente a massa muscular, simetria e definição.





Por, exemplo, na categoria fitness, as mulheres devem exibir corpos definidos, feminilidade, rostos bonitos, e também, também, ótimo condicionamento, exigindo boa flexibilidade, explosão, ritmo, coordenação e outros... Claro, que os treinos dos atletas desta categoria são diferenciados também. Pois no dia da apresentação o atleta deve estar em sua melhor forma estética e melhor condicionado, no auge das capacidades necessárias à modalidade. E isso envolve periodização, planejamento e treino diferenciado.
Atletas femininas de fitness, onde os treinos não visam somente estética (hipertrofia e perda de gordura) mas também flexibilidade, força, explosão, ritmo entres outras. Corpos mais naturais com boa definição muscular.
Rickson Gracie - lutador de Jiu-Jítsu
Muitos atletas exibem belos corpos, sem focar seu treino para massa muscular, emagrecimento, etc. Pois para alcançar bons níveis de performance você necessariamente precisa de um corpo atlético.
Kyra Gracie - faixa preta de Jiu-Jítsu

Vitor Belfort - campeão do UFC, lutador de MMA.

Porém, nem todos os atletas de grande performance exibem corpos esculturais.
Independente do treino, seja ele intenso ou não, uma dieta equilibrada e saudável é essencial para resultados morfológicos (resultados estéticos). Mesmo gastando 4.000 kcal por dia, se você comer 4.500 kcal, irá engordar.

 Assim como no treino de lutas (mma, box, jiu-jítsu, etc) o treino de Crossfit faz um mix de diversas modalidades (ginástica, levantamento de peso, corrida, pliometria, etc), e isso deixa os treinos intensos, e com foco na melhora de força, agilidade, resistência, e muitas outras. Dificilmente você verá mulheres com corpos masculinizados e homens excessivamente grandes.

Crossfit Games

Exercício nas argolas, Ginástica Olimpica.
Porém nem sempre ser grande significa ser forte, muitas pessoas (homens e mulheres) são pequenos, ou tem o corpo normal - atlético, e são mais fortes que pessoas com quase o dobro do peso deles.

Força x Hipertrofia




Muitas modalidades esportivas, e alguns treinos diferentes dos tradicionais treinos de musculação, irão desenvolver muito mais a resistência, força, agilidade, flexibilidade e também irão contribuir de forma consequênte com a conquista do corpo perfeito.
Yôga - necessidade de um corpo
leve, forte e concentrado para executar
os ásanas (posições) mais avançados.

Certamente esta senhora não precisa de ajuda para
caminhar, levantar da cadeira, tomar banho, etc.


























Treinos que objetivam mais, além de simplesmente a estética, irão contribuir para uma longa qualidade de vida! E no caso de perda de peso, irão contribuir muito mais eficientemente, pois na maioria dos casos geram maior gasto calórico.
 Espero que tenham gostado e que se inspirem a pesquisar sobre diversas influências culturais no mundo fitness, nas verdades e mentiras que se ouvem por ai.

E complementando a pergunta do começo...
A diferença entre treino para estética e treinos de melhora de performance é que os treinos de estética irão contribuir para ganho de massa muscular mais que os outros. E treinos focando outras capacidade irão também aumentar a massa muscular, porém não tanto quando um treino de hipertrofia, mas podem te dar mais força, flexibilidade, agilidade, ritmo, velocidade, coordenação, resistência e gastar até mais calorias que um treino convencional de musculação, o que irá contribuir de forma mais significante para o emagrecimento e qualidade de vida.

Vale sempre balancear o que vale mais a pena para você, e qual é o seu real e mais importante objetivo.

Um abraço,
Até a próxima!
Ale



Alexandre C. Alves é Esp. em Fisiologia do Exercício e em Treinamento Desportivo pela UNIFESP

O artigo Treino de Estética e Performance das Capacidades Físicas foi escrito e editado por Alexandre C. Alves na data de 15 de nov de 2011. Esperamos que este artigo possa ser útil.

Sessões deste Artigo: , , ,